Boi Janeiro encerra festejo dos reis em Lauro de Freitas

Boi Janeiro encerra festejo dos reis em Lauro de Freitas

O Boi Janeiro roubou as atenções no Centro de Lauro de Freitas na noite deste sábado (6). Além dos moradores que já têm o hábito de participar da tradição, o desfile do Terno de Reis, que saiu do final de linha do Centro em direção à Praça da Matriz, encantou a todos que observavam a celebração conduzida pela queima de fogos e o som da Charanga Vem Com a Gente.

O Terno de Reis é mais uma das manifestações populares que revelam a diversidade cultural de Lauro de Freitas, explica o historiador Gildásio Freitas. “O terno de reis sempre foi forte em Lauro de Freitas nos bairros de Portão e no Centro. Essa festa é a tradução da música de Chico Buarque “A Banda” que faz as pessoas pararem pra ver a banda passar”.

Considerada baluarte do Terno de Reis do Boi Janeiro, Vivaldina Conceição, popularmente conhecida como dona Badinha, comandou o cortejo entoando cânticos populares de porta em porta, prestigiando as famílias tradicionais do bairro. Ao som do refrão “abre a porta não demore não, venha receber nosso coração”, dona Badinha, pastorinhas, burrinha, o boi e o vaqueiro eram recebidos pelos vizinhos. “Estou muito feliz por mais um ano. Participo dessa festa desde o início”, destacou Badinha que no início do mês completou 75 anos.

O cortejo, acompanhando a peleja entre o vaqueiro e o bumba, seguiu até a praça da Matriz onde, seguindo a tradição, o vaqueiro vence o boi e cai na farra, rodeado pelas Matriarcas, grupo de samba de roda formado por senhoras do município.

Um dos organizadores do festejo, Sinaldo Pereira agradeceu a sensibilidade da prefeita Moema Gramacho e da Secretaria de Cultura e Turismo, e o esforço para possibilitar que uma tradição de mais de 40 anos não se acabe. “É muito bom contar com uma gestora que valoriza e apoia a cultura local. Não vamos deixar a cultura do Terno de Reis morrer”.

Enquanto dançava ao som da charanga, Maria Conceição, que mora há 22 anos em Lauro de Freitas, confessou que nunca perde o desfile. “Eu nasci e vivi acompanhando o Terno de Reis. Quando me aposentei e escolhi Lauro de Freitas pra viver continuei a tradição aqui nessa cidade que adotei como minha e que tanto amo”.

Os festejos dos santos reis aconteceram em dois momentos no município: na sexta-feira (5) com terno Estrela Dalva, de dona Aidêe, e no sábado com o Boi Janeiro, de dona Badinha. A festa é calendarizada e acontece há mais de 40 em Lauro de Freitas.