Caminhada leva mensagem de luta e empoderamento da mulher em Lauro de Freitas

Caminhada leva mensagem de luta e empoderamento da mulher em Lauro de Freitas

O Dia Internacional da Mulher em Lauro de Freitas começou com uma caminhada, no bairro de Vilas do Atlântico, que levou aos participantes e expectadores a mensagem de “não à violência contra a mulher” e de empoderamento. A caminhada, que percorreu toda a Avenida Praia de Itapuã, foi idealizada pela fotógrafa Josefa Coimbra e reuniu grandes personalidades femininas como desembargadora Nágila Brito, a prefeita Moema Gramacho e a secretária de Políticas para Mulheres, Bárbara Chaves.

“É tanta violência, tanta mulher sendo agredida. Eu acho que se cada um fizer um pouco, se todo mundo se doar e for pra rua lutar será muito melhor”, destacou Josefa. A fotógrafa contou que a motivação para a realização da caminhada foi o grupo de whats app chamado Divas de Vilas. “São muitas mulheres de diferentes setores e experiências que acreditam que juntas podem levar uma mensagem de força para outras mulheres”.

A prefeita Moema Gramacho, que acompanhou a caminhada e entoou junto com as participantes a palavra de ordem “me respeite, eu sou mulher”, parabenizou o grupo pela iniciativa da caminhada e falou do quanto ainda há para as mulheres conquistarem. “Nós mulheres precisamos cada vez mais ser respeitadas. Já conquistamos muita coisa e caminhadas como esta fortalecem nossa luta”.

A desembargadora Nágila Brito chamou a atenção para a importância da denúncia, seja pela violência física ou psicológica sofrida pelas mulheres. “Não podemos ficar caladas, temos que dizer não à violência e quando a mulher se encoraja e faz a denúncia estamos a postos para recebê-la”.

Bárbara Chaves, titular da SPM de Lauro de Freitas, lembrou o trabalho desenvolvido pelo Centro de Referência Lélia Gonzalez no atendimento a mulheres vítimas de violência no município, que disponibiliza apoio jurídico e social para acabar com o ciclo de violência. “Quando uma mulher é violentada a sociedade toda sofre. Esse dia é registrado e lembrado todos os anos, mas todos os dias é dia da mulher e lugar de mulher é onde ela quiser”.

Antes de começar a caminhada foi oferecido um café da manhã especial pelo Dia da Mulher e em seguida foi realizada uma aula de alongamento. A atividade contou com o apoio da Secretaria Municipal de Trânsito, Transporte e Ordem Pública-SETTOP, da Polícia Militar com a Ronda Maria da Penha e da Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres. De mãos dadas as participantes encerraram a caminhada rezando o Pai Nosso.

O dia 8 de março, celebrado como Dia da Mulher, foi a data em que no ano de 1917, 15 mil mulheres marcharam nas ruas da Rússia por melhores condições de trabalho. Outro fato marcante que referencia a data foi a morte de 130 operárias da Companhia de Blusas Triangle Shirtwaist, em Nova York, carbonizadas num incêndio em 1911, durante uma ocupação. A data só foi oficializada em 1975 e é celebrada em vários países. Na Rússia é feriado.