Equipes do CCZ reforçam combate a focos do aedes aegypti em Lauro de Freitas

Equipes do CCZ reforam combate a focos do aedes aegypti em Lauro de Freitas

Equipes do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) da Secretaria de Saúde de Lauro de Freitas reforçaram o combate aos focos do mosquito aedes aegypti em duas áreas com características favoráveis a proliferação do transmissor da dengue, zika, chikungunya e febre amarela.  As denúncias feitas por moradores apontaram, em regiões diferentes da cidade, piscinas desativadas com água parada e sedimentos nas bordas que também poderiam servir como foco de propagação destes insetos.

De acordo com o coordenador do CCZ, Ricardo Vieira, na primeira unidade visitada na Avenida Luiz Tarquínio, técnicos colheram amostras da água encontrada na piscina para identificar os organismos vivos. Vieira explica que não foram encontradas larvas do aedes aegypti. “Esse tipo de inseto prefere depositar seus ovos em locais com pouca concentração de água. Além disso, nessa piscina encontramos peixes e outros predadores que não deixam as larvas se desenvolverem”, elucidou.

Ainda segundo Vieira, na piscina não havia foco, mas ao redor por todo o terreno, o lixo depositado por pessoas que passam pelo local, hoje desabitado, apresenta ameaça. Foram encontradas larvas do aedes em copinhos e sacolas plásticas. “Nós vamos localizar os donos deste imóvel utilizando como forma de rastreio o IPTU. Os proprietários serão notificados. O terreno está aberto facilitando o acumulo de lixo pela população”, disse.

Já na Avenida Praia de Pajussara, em Vilas do Atlântico, os técnicos constataram que a piscina estava desativada e orientaram os proprietários a aterrar o espaço ou deixa-lo sempre vazios. “Nesta piscina também não encontramos foco do aedes aegypti, pelos mesmos motivos da primeira vistoriada, porém nas bordas os donos do imóvel mantinham caixas de isopor e outros materiais onde foram localizadas larvas do mosquito transmissor da dengue”, afirmou Vieira. Durante a ação, foram eliminados os criadouros e os moradores orientados a como proceder no combate ao mosquito.

Em janeiro deste ano o CCZ recebeu 22 denúncias de imóveis com possíveis foco do aedes, a maioria terrenos, casas com piscinas ou tanques descobertos, desabitadas ou abandonadas. A portaria 011/2015 emitida pela Vara da Fazenda Pública autoriza aos agentes de combate a endemias o acesso livre a imóveis com essas características para controle da proliferação do inseto.

Em Lauro de Freitas o CCZ possui um canal exclusivo para denúncias de focos do mosquito aedes aegypti. Através do Disque Dengue 3288-8911, que funciona das 8h às 15h, ou 153 com atividade 24h, a população pode requerer uma visita técnica em locais com água parada. A Secretaria de Saúde também disponibiliza o número da Ouvidoria SUS 3369-9937 e os e-mails ouvidoriasesalf@gmail.com ou ccz_lf@yahoo.com.br. “Todas as denuncias recebidas são averiguadas”, enfatiza Vieira.