Lauro de Freitas cobra celeridade no processo dos limites territoriais na ALBA

Lauro de Freitas cobra celeridade no processo dos limites territoriais na ALBA

Após a invasão da Prefeitura de Salvador no município de Lauro de Freitas, ocorrida na semana passada, membros do Movimento Somos Todos Lauro de Freitas junto com a prefeita Moema Gramacho, secretários e vereadores do município foram a Assembleia legislativa da Bahia, nesta quarta-feira (8), pedir celeridade no processo dos limites territoriais entre os dois municípios.

A prefeita de Lauro de Freitas levou ao conhecimento da Comissão de Assuntos Territoriais, em reunião informal, o episódio em que o prefeito da capital mandou uma equipe ao município vizinho com material para “construção de uma praça” no Loteamento Lindoia, no bairro de Itinga. A ação foi impedida e o material e veículo apreendidos. “Essa invasão é um desrespeito a essa Casa, à população e à colega. Estamos tratando desse assunto há tempos, aqui tramitam dois projetos, um da própria Comissão embasado em estudos da SEI e do IBGE e outro da Prefeitura de Lauro de Freitas. E há uma lei que define que, em não havendo consenso entre os municípios, cabe a esta comissão tomar a decisão”.

Moema destaca ainda que o prefeito da capital foi convidado várias vezes e jamais compareceu à comissão. “Mas foi invadir o nosso município para dar ordem de serviço para obra tamanho PP. O que ele chama de praça é apenas um canteiro”.

Com a sala de reunião da Comissão lotada por membros do Movimento Somos Todos Lauro de Freitas, a prefeita enfatizou o entendimento de que a solução deve vir da Comissão, mas não descarta a realização de um plebiscito. “Queremos paz e para que isso aconteça precisamos que essa casa dê celeridade a resolução dessa questão. Temos todo acolhimento desta comissão, que tem uma posição que a credencia cada vez mais para a finalidade que foi criada, mas não vamos ficar quietos diante das atitudes do prefeito de Salvador”.

Substituindo o deputado Zó, presidente da comissão, o deputado Luciano Ribeiro garantiu que “os limites territoriais entre Lauro de Freitas e Salvador têm sido assunto constante na comissão”. A deputada Mirela Macedo, membro da comissão, reiterou sua posição em colocar definitivamente a questão para votação na Alba. “Precisamos resolver essa confusão que vem refletindo principalmente na vida das pessoas”.

Na próxima semana não haverá reunião da Comissão de Assuntos Territoriais devido ao feriado. De acordo com o deputado Rosemberg Pinto, esse período vai ser útil para que no próximo encontro a Comissão apresente um encaminhamento. “Vamos atualizar as informações e solicitar um reunião conjunta de Assuntos Territoriais e Justiça”.
Para Davi Leite, integrante do Movimento Somos Todos Lauro de Freitas, a posição da Comissão tem sido bastante positiva no que diz respeito à atenção a este assunto. “Nosso sentimento é de lutar cada vez mais pela população e proteger nosso município de qualquer tipo de usurpação. Nós somos de Lauro de Freitas”.

A prefeita Moema destacou que se colocou a disposição da Prefeitura de Salvador desde que a gestão da capital mostrou interesse nas áreas em litígio, mas representantes do prefeito deixaram claro que não há acordo diante das propostas apresentadas. Na última vez que se pronunciou o gestor da Prefeitura de Salvador adotou uma atitude considerada machista e desrespeitosa pela prefeita de Lauro de Freitas, quando chamou a gestora de “chiliquenta”. “Serei chiliquenta toda vez que for necessário para defender os direitos dos munícipes. Lauro de Freitas não é terra sem dono. Aqui quem manda é o povo”.