Capacitação de servidores de Lauro de Freitas qualifica serviços e beneficia a população

Por:Laerte Santana
Capacitao de servidores de Lauro de Freitas qualifica servios e beneficia a populao14/03/2019 14:03 Foto:Edgard Copque

Orientar e conduzir público infantojuvenil em situação de vulnerabilidade para responsáveis e entidades protetoras é, na prática, algumas das atitudes apontadas no curso interativo sobre Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) para Guardas Municipais e Salva-vidas de Lauro de Freitas, realizado nos dias 19 e 20/02, e 13 e 14/03. Organizado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Cidadania (SEMDESC), a capacitação promove o conceito de cidade educadora do município com a formação plena de seus servidores.    

O curso foi pensado para qualificar e aperfeiçoar a atuação diária de profissionais que integram a rede de proteção da criança e do adolescente, de acordo aos regimentos e especificidades do ECA voltados a escola e o contexto social. Para atender todo o efetivo de Guardas Municipais e Salva-vidas sem prejudicar o serviço à população, o curso foi dividido em quatro encontros. No total, 75 servidores foram capacitados e receberão certificado.

Entre os direitos fundamentais constituídos pelo estatuto, garantir segurança pública para crianças e adolescentes é um dever de todos, como aponta o formador Adailton Agra. “O curso buscou instrumentalizar conhecimentos para os servidores, dando base para que possam atender e proteger crianças e adolescentes, considerando os elementos conceituais e práticos do ECA”, disse. Segundo Agra, a capacitação dos profissionais fortalece toda a rede de proteção, além de beneficiar a população com um serviço mais qualificado.  

Adriano Assis atua como guarda municipal há quase dois anos em Lauro de Freitas e destaca ter presenciado situações de trabalho infantil e indução ao uso de bebida alcoólica e outras drogas. “Constantemente nos deparamos com alguma situação de vulnerabilidade social. Hoje no curso, após conhecer as leis que regem o ECA, com certeza levaremos para a prática uma atuação mais preocupada com os jovens e interligada a outros serviços de proteção, como o Conselho Tutelar que fiscaliza as condutas públicas”, enfatizou.