População contribui para construção de políticas públicas nas pré-conferências de saúde

Por:Mariana Cedrim
Populao contribui para construo de polticas pblicas nas pr-conferncias de sade16/03/2019 18:00 Foto:Lucas Lins

O sábado em Lauro de Freitas foi de debate e construção de políticas públicas de saúde. Finalizando o período das pré-conferencias no município a população de cinco bairros se reuniu para discutir o tema “Democracia e Saúde: Saúde como Direito, Consolidação e Financiamento do SUS”.

Durante as pré-conferências, divididos entre os eixos saúde como direito, consolidação dos princípios e financiamento adequado do SUS, os participantes elaboram propostas para melhorar o sistema de saúde. As propostas serão apresentadas na 8º Conferência Municipal de Saúde, em abril. A interlocução dos conselhos municipais, como a segurança pública influencia na saúde e as ações positivas da saúde no município foram alguns dos pontos colocados em questão.

Atenta a todas as colocações, na pré-conferência realizada na Escola Municipal Pedro Paranhos, em Portão, a prefeita Moema Gramacho destacou a contribuição que estes espaços de debate trazem para a gestão. “Conferência é isso. É importante perceber o que vocês pensam sobre a saúde municipal. Nossa gestão tem essa política de ouvir as pessoas e garantir cada vez mais a participação popular”.

A prefeita também informou sobre os equipamentos que ampliarão a rede de atendimento de Lauro de Freitas: o Hospital Metropolitano, unidade de grande porte para urgência e emergência que está sendo construída no bairro do Capelão e tem previsão de entrega no segundo semestre deste ano; e a Policlínica de Simões Filho que também vai atender os moradores de Lauro de Freitas. Com quase 70% das obras concluídas, a policlínica deve ser inaugurada ainda neste semestre.

O secretário de Saúde Erasmo Moura chamou atenção para a importância da coletividade opinar sobre a saúde municipal. Ouvir as demandas da população contribue para enriquecer a administração, afirmou. A vereadora Naide Brito também participou da pré-conferência em Portão.

Para Bianca Garcia esse momento é muito importante porque a gestão não trabalha só. De acordo com a moradora do Centro, a população é de fato quem vive o dia a dia da saúde no município e sabe quais são as prioridades. “Que espaços como este continuem abertos e principalmente que o povo participe e contribua”.

Neste sábado (16) as pré-conferências deram voz às comunidades do Centro, Ipitanga, Caji, Areia Branca e Portão. No sábado passado (9) foram realizas três pré-conferencias na Itinga e uma em Vilas do Atlântico.