Presença expressiva da classe artística marca abertura da Jornada Cultural em Lauro de Freitas

Presena expressiva da classe artstica marca abertura da Jornada Cultural em Lauro de Freitas27/11/2017 11:29

Debaixo das mangueiras centenárias do Terminal Turístico Mãe Mirinha de Portão, em Lauro de Freitas, músicos, atores, produtores, artistas plásticos, artesãos e mestres da cultura popular participaram da cerimônia de abertura da Jornada Cultural na noite desta quinta feira (23). O evento, que se estende até sábado (25), é promovido pela SECULT- Secretaria de Cultura e Turismo com intuito de despertar e atrair a classe ao diálogo  estreitando as relações com o poder público, e disseminar as formas de participação em editais, programas e projetos.

De acordo com a prefeita Moema Gramacho, a proposta é democratizar o acesso à cultura garantindo assim as mesmas oportunidades a partir da promoção de cursos e formação que nortearão os caminhos do fomentador cultural. "Esta Jornada é um fortalecimento deste processo de democratização que desenvolvemos no município desde o início da nossa gestão. Queremos garantir que todos tenham as mesmas condições para participar", disse.

Samba de roda, terno de reis, capoeira. A diversidade cultural de Lauro de Freitas é  evidenciada através dos retalhos das bonecas de pano e pelas mãos do artista plástico Sivú. "A proposta é que a classe artística como um todo possa se organizar", frisou o secretário de Cultura e Turismo, Manuel Carlos dos Santos. Diante das artes em exposição no local, o gestor informou que a Companhia Municipal de Dança deverá iniciar a seleção dos interessados no começo do próximo ano e celebrou o bom andamento da já instituída Companhia de Teatro, que ampliará o número de participantes, em sua maioria alunos da rede pública de ensino.

Para o procurador Geral do Município, Kivio Dias, a formalização é o primeiro passo para captação de recursos. "Existe um orçamento que contemplará estes seguimentos culturais. É necessário se preparar para isso. No poder público há formalidades e é preciso estar atento", alertou.

O controlador Geral do Município, Apio Vinagre, destacou a importância do Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil (MROSC), que normatizará, neste sentido, os municípios. Vinagre conta que a partir da implementação do Marco, um grupo de trabalho composto por servidores de várias pastas desenvolveram uma minuta de Decreto Municipal que regulamentará a relação da sociedade civil com a gestão.  "Este documento já foi sinalizado positivamente pela prefeita e segue o rito de avaliação da Procuradoria. Acredito que na próxima semana o decreto estará publicado", frisou.

A mestre da cultura popular Aydê Nascimento parabenizou a iniciativa da Jornada. "É um olhar cuidadoso da gestão, mostra a importância e o significado que a cultura tem para o governo democrático de Moema", disse. A produtora cultura Roquelina Magnólia conta que sempre teve dúvidas quanto aos procedimentos por que atua em um grupo teatral inclusivo. "Estou otimista com a proposta da Jornada, sei que sairei daqui sem essas dúvidas e com todas as informações que preciso", afirmou.

Nesta sexta feira (24), as atividades seguem com uma programação de palestras, seminários e rodas de diálogos destacando cases de sucesso. O grupo afro Bankoma é esperado para relatar sua experiência exitosa. Outra personalidade aguardada é Zulu Araújo, da Fundação Zumbi dos Palmares, além da presença de órgãos como Sebrae, Bahiatursa e Polícia Militar.

No sábado, a programação segue com intervenções nos bairros de Vida Nova e Areia Branca, a partir das 9h, com a apresentação de 14 grupos culturais da cidade.