Seminário aponta caminhos para inclusão e desenvolvimento local sustentável

Por:Danilo Magalhães
Seminrio aponta caminhos para incluso e desenvolvimento local sustentvel30/08/2019 18:14 Foto:Lucas Lins

As experiências bem sucedidas e avanços da economia solidária e empreendedorismo social prenderam a atenção do público que participou, na noite desta quinta-feira (29), da segunda mesa do Seminário Lauro de Freitas: Desenvolvimento local, Inclusão e Sustentabilidade, promovido pela Secretaria do Trabalho, Esporte e Lazer (Setrel). O tema desta mesa foi “Financiamento, Circulação e Comércio Local”
“O objetivo é travar um diálogo permanente entre o poder público e a sociedade civil, buscando apontar caminhos, através dos princípios da Economia Solidária, para a superação das mazelas sociais enfrentadas pela nossa sociedade”, destacou o titular da Setrel, Uilson de Souza.
O procurador geral Kívio Dias ao falar de compras públicas explicou que com a Lei complementar Nº 123 de 2006, que “estabelece tratamento diferenciado e favorecido a ser dispensado às microempresas e empresas de pequeno porte no âmbito dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios” facilitou para que todos os empresários possam participar de licitações públicas com chances reais de êxito.
O coordenador da Rede Estadual de Bancos Comunitários do Piauí, Mauro Rodrigues, parabenizou a iniciativa da Prefeitura em trazer esse diálogo para a sociedade civil, que ajuda a reforçar e incentivar a cultura do desenvolvimento local. Ele também falou da luta da gestão para implantar um Banco Comunitário. “O apoio e acesso ao crédito com taxas menores e menos burocracia ajuda no desenvolvimento econômico local e faz o dinheiro circular”, afirmou.
Membro do grupo de trabalho de finanças solidárias da Bahia, Simaia Barreto, explicou que o mundo precisar repensar um modelo de economia, que é a solidária. “Temos que tentar implantar um fundo rotativo solidário que é um caixa que não se acaba, uma poupança coletiva, onde as pessoas tenham acesso ao credito com taxas baixíssimas e compromissos firmados através de confiança para que não se tenha inadimplências”.
As próximas mesas devem ser realizadas em setembro e outubro e vão abordar “Ações Transversais para desenvolvimento local” e “Desenvolvimento Sustentável”.