Seminário em Lauro de Freitas propõe agenda de ações para recuperar Rio Joanes

Seminrio em Lauro de Freitas prope agenda de aes para recuperar Rio Joanes04/04/2018 19:43

A sociedade civil e os representantes dos municípios que compõem a bacia hidrográfica do rio Joanes elaboraram, nesta quarta-feira (4), último dia do Seminário SOS Joanes, uma carta que estabelece os compromissos que devem ser adotados para viabilizar a recuperação e preservação do manancial. Durante dois dias a ação, realizada no Centro Panamericano de Judô (CPJ), em Lauro de Freitas, apresentou sugestões para a revitalização executadas com êxito em outras regiões do país, e debateu a situação do rio Joanes com principais desafios para sua recuperação e preservação.

As propostas estabelecidas no seminário sinalizaram a necessidade da construção de adutoras e da barragem de Santa Helena como pontuou o secretário estadual de Infraestrutura Hídrica do estado, Cássio Peixoto. “O Plano Municipal de Saneamento do Estado está em fase de construção e englobará estas necessidades. Tudo isso foi debatido durante este encontro”, salientou.  

De acordo com o curador técnico e gestor da Seplan, Mauro Cardim, a iniciativa foi aceita positivamente pelos municípios que o rio corta. “Reunimos aqui estudiosos, técnicos, ambientalistas, detentores de tecnologias capazes de despoluir o rio. De forma conjunta e com a presença de vários entes para um amplo debate. Acredito que a “Carta Rio Joanes” será um documento capaz de ser um guardião permanente da bacia, acompanhado e preservado por cada um de nós”, disse.

O secretário estadual de Ciência e Tecnologia (SECTI), Vivaldo Mendonça informou que a partir do encontro, “será construída uma agenda da gestão tecnológica em torno da Bacia do Rio Joanes, com metodologia desenvolvida pela SECTI, que envolve um arranjo de governança em que governo, academia, setor produtivo, sociedade civil e setor financeiro criarão um ambiente integrado capaz de construir todas as soluções neste sentindo”, afirmou.

Dentre as propostas para a despoluição de rios apresentadas pelos colaboradores da ação no último dia do Seminário, a inovação e modernidade da utilização de nanobolhas para esta finalidade chamou atenção diante dos números positivos alcançados em experiências realizadas no Rio Pinheiros, em São Paulo. Segundo o palestrante Rudson Souza, da USP, a técnica consiste em transformar uma simples gota em um milhão de pequenas bolhas, aumentando a superfície de contato e resultando na destruição dos contaminantes por meio de uma rápida reação química. Ainda de acordo com ele, o sistema de nano-bolhas, quando aplicado, tem grande poder de penetração, agindo rapidamente sobre a contaminação de solos ou da água, graças ao seu minúsculo tamanho e à sua enorme superfície de contato.

Outro projeto exitoso exposto relatou a eficácia para a despoluição dos afluentes através de sistema de aeração com a introdução de bactérias eficaz, tanto no tratamento de água doce quanto de salgada. De acordo com o palestrante Thiago Hiroshi de Oliveira, gerente Socioambiental da Embasa, a tecnologia usa microminerais essenciais para estes seres vivos, facilitando a reprodução das bactérias boas que já estejam no meio ambiente de maneira exponencialmente maior e mais rápido, limpando a água poluída. O seminário foi desenvolvido pela Secretaria de Planejamento de Lauro de Freitas (Seplan) em parceria com a Rio Limpo e governo do Estado.